Todos os posts por Odontovet Social

E se os dentes de leite do filhote não caírem?

A idade para troca dos dentes em cães e em gatos é entre o 4º e o 6º mês de vida. Normalmente, durante a troca da dentição o dente de leite precisa cair primeiro para o permanente possa nascer.

Mas e se os dentes do filhote não cairem? 

Nos casos em que os dentes permanentes começam a nascer enquanto os dentes de leite ainda estão no lugar, causando problemas de oclusão, é preciso que os dentes de leite sejam extraídos o mais rápido possível, liberando espaço para que os dentes permanentes nasçam sem problemas.

Ainda que os dentes de leite venham a cair mais tarde, esse atraso pode causar problemas no dente permanente, que pode nascer numa posição errada, prejudicando a mordida e toda saúde bucal do pet.

Veja no caso abaixo, antes da extração o canino superior de leite (A) estava empurrando o canino superior permanente (B) para a frente, impossibilitando que o canino inferior se encaixasse corretamente. Cerca de 15 dias após a extração do dente de leite (A), os caninos superior (C) e inferior (D) voltaram ao seu lugar, formando o encaixe correto.

Imagem da boca de um filhote de cão de 6 meses de idade

Antes

Imagem da boca de um filhote de cão de 6 meses de idade com persistência dos caninos de leite superior (a) e inferior (e).

Depois

Ao notar que seu filhote está na fase de troca de dentição mas não está perdendo os dentinhos, agende conosco uma consulta (clique aqui) para que seja avaliado a necessidade da extração dos dentes. O procedimento adotado é tranquilo, não havendo necessidade de internação, liberando o filhote no mesmo dia. A recuperação costuma ser extremamente rápida.

Leia mais

Depoimento: Cirurgia Oncológica da Isadora

A Isadora foi nossa paciente e seu caso era um tumor (câncer) na mandíbula, que foi operado por nossa equipe.

Confira abaixo o depoimento dos donos sobre seu tratamento:

Durante um carinho rotineiro, em meados de março, descobrimos um pequeno caroço no queixo da Isadora, nossa gatinha persa, com 9 anos de idade. Mais do que depressa, fizemos uma radiografia que nos trouxe a possibilidade desconcertante dela ter um tumor. Numa primeira biópsia, veio um alívio, pois, embora o resultado não fosse 100% conclusivo, não falava-se em malignidade. Contudo, o tal do caroço começou a crescer, crescer e não sabíamos o que fazer.

No início de setembro, a situação começou a se complicar. A Isadora já não conseguia alimentar-se direito e chegou, por quase 4 dias, a comer muito, muito pouco. Após a visita ao veterinário, descobriu-se que havia uma grande inflamação, causada pelo, até então, caroço. Assim iniciamos a medicação para aliviar a dor, fazendo com que ela voltasse a comer. Nessa mesma consulta, nos foi indicada a Dra. Michèle, da Odontovet. Logo na primeira consulta, após apresentarmos todo o histórico da Isadora, a Dra. Michèle já nos preparou psicologicamente para aceitar que o tal caroço, dificilmente não seria um tumor malígno e, se confirmado, uma opção seria uma mandibulectomia – ou a remoção da mandíbula direita da minha gatinha.

Nossa primeira resposta: “Se a única saída for a mandibulectomia, não será feita”.

Marcamos a cirurgia para uma nova biópsia. Cerca de 10 dias depois da cirurgia, dito e feito, o resultado dizia: Carcinoma Espinocelular.

Era chegada uma das piores horas. Decidir sobre o que fazer entre duas opções: 1) Manter a medicação da Isadora para que ela pudesse ficar sem dor e, em um curto espaço de tempo, colocar uma sonda esofágica para que ela pudesse ser alimentada até quando suportasse. 2) Aceitar a cirurgia que removeria a mandíbula direita – e todo o tumor – com o objetivo de dar um conforto e uma qualidade de vida melhor por mais algum tempo para ela. Com muita segurança e confiança a Dra. Michèle nos pontuou prós e contras de cada escolha e, fortemente, recomendou-nos a cirurgia e que, por final, acabou acontecendo no dia 13.11.12.

Hoje, aproximadamente 50 dias após a cirurgia, a Isadora está muito, mas muito bem! O pós-operatório requereu uma dedicação especial e, no caso dela, ainda contou com uma gastrite – por conta de toda medicação que tomou para a inflamação – que nos deu trabalho, mas conseguimos superar. Depois de duas semanas alimentando-se pela sonda esofágica (o que torna bem simples a alimentação e medicação, sem incomodar o animal), a Isadora passou a se alimentar do caldo de rações úmidas. Logo depois, voltou a alimentar-se de ração seca. No começo com dificuldades para entender como seria a nova mecânica para se alimentar. Mas com uma inteligência incrível, adaptou-se rapidamente. Tivemos que adaptar o local da alimentação, colocando a ração em pratos sem bordas – pois ela pega a ração com o lado esquerdo e não mais de frente – e em um local mais alto para facilitar o momento que ela precisa segurar a ração na boca.

Agora, a Isadora retomou a sua vida normal. Voltou a brincar durante a arrumação da cama, voltou a correr atrás de seus brinquedos, tomar sol na varanda durante as manhãs, enfim, hoje temos nossa gatinha de volta.

Esse depoimento é longo, mas quis deixar registrado a importância de se acompanhar os hábitos e costumes de seus bichinhos estando atentos, principalmente, as mudanças. Também quero deixar aqui registrado que, assim como nós, tenho certeza que muitos terão o pé atrás ao precisar optar por uma cirurgia como a que a Isadora enfrentou, mas tenham a certeza que, nas mãos de pessoas competentíssimas, sérias e, principalmente, humanas, como a Dra. Michèle e toda a equipe da Odontovet, o processo será um sucesso e o seu bichinho, com toda certeza, terá uma qualidade de vida excelente.

Sabemos que, como todo tumor malígno, podemos ter novas surpresas, mas vamos vivendo um dia após o outro e curtindo a nossa princesinha feliz e contente novamente.

Obrigado Dra. Michèle. Todos nós encontramos pessoas especiais em nossas vidas e você, com certeza, já faz parte dessa grupo para nós. (Eduardo e Claudio)

 

Em caso de suspeita de tumores e outros problemas bucais em seu companheiro, agende uma consulta conosco através do email odontovet@odontovet.com

Leia mais

Conheça nosso Programa de Estágio em Odontologia Veterinária

Aqui no Odontovet temos um programa de estágio com a duração de um mês, destinado a alunos do último ano da graduação em Medicina Veterinária, quando o estágio curricular é obrigatório. Em geral, os alunos do curso de Medicina Veterinária não possuem aulas de Odontologia Veterinária na grade curricular, portanto os estudantes que desejam se especializar na área ou que gostariam de conhecer melhor a rotina de uma clínica de Odontologia Veterinária nos procuram para fazer estágio. Há também a procura por alunos que estão ainda nos primeiros anos, mas, para esses casos, deixamos o convite de acompanhar um dia em nossa rotina. Já os alunos que recebemos para estagiar acompanham as consultas e os procedimentos odontológicos, mas não fazem nenhum atendimento prático.

Ao final do estágio, aplicamos uma prova para mensurarmos o nível de conhecimento que o interno adquiriu, e na última questão deixamos aberto para que o interno possa fazer comentários sobre nosso centro, pois entendemos que o aluno, ao vir “de fora” pode enxergar eventuais falhas que precisam ser corrigidas, nos ajudando a melhorar. Um dos depoimentos recentes que nos encheu de alegria foi o da Francine Veneziani:

“Com certeza foi o estágio em que eu mais me senti realizada. As instalações são impecáveis e o atendimento é o ponto mais forte – vocês possuem uma equipe maravilhosa, que não mede esforços para passar ao proprietário todas as informações necessárias, com todo carinho e respeito pelos animais. Os colegas sempre tratando todos de forma igual, respondendo os questionamentos dos estagiários e levantando dúvidas pertinentes para a discussão dos casos. Equipe toda muito simpática e amorosa!
Não consigo pensar em pontos negativos para elencar. A equipe Odontovet representa de forma impecável a evolução da odontologia (veterinária) no Brasil, e eu tenho orgulho de ter acompanhado o trabalho de seus profissionais.”

Os dois maiores diferenciais em fazer estágio conosco são: estar em contato com a equipe de maior experiência em odontologia veterinária, pois em 22 anos de história já atendemos mais de 18 mil casos; e a possibilidade do aluno acompanhar 5 veterinários especializados durante um só estágio, como se fosse um combo de 5 por 1.

O Odontovet é a primeira clínica especializada em Odontologia Veterinária da América Latina e a segunda no mundo, com mais de 22 anos de história. No passado também recebíamos profissionais já formados, mas que faziam especialização na área, para estagiar conosco. Isso significa que boa parte dos profissionais atuantes na especialidade atualmente já estagiaram conosco!

Para saber mais sobre nosso programa de estágio, basta entrar em contato com o email odontovet@odontovet.com que teremos o prazer de responder.

Leia mais

[Depoimento] Resgate com final feliz da gata Sophia

Recebemos recentemente uma paciente que nos tocou o coração com sua história e trouxemos hoje até vocês. É a história da Sophia, uma gata de rua que havia sido atropelada e estava com a mandíbula quebrada e foi resgatada pela Rosana e pela Cristina, que se tornaram amigas durante o resgate da gata!

Segundo as palavras da Rosana e da Dra. Michele, a Sophia foi atropelada num sábado e apresentava fratura da mandíbula esquerda, na região do dente canino, fratura no mesmo dente com exposição do canal e também fratura na ATM (articulação tempero-mandibular). Chegou no Odontovet na segunda-feira e foi possível realizar um encaixe para atendimento dela na rotina do dia, para sanar suas dores.

Foi realizado o tratamento do canal do dente fraturado (canino) e colocado resina acrílica sobre os dentes para estabilizar a fratura da mandíbula. Para a fratura de ATM, como não foi apresentado desvio da oclusão ela fará apenas acompanhamento.

Cerca de quatro semanas após a Sophia retornou ao consultório para retirar a resina e foi constatado que a oclusão está normal, sem sequelas do atropelamento.

A união da Rosana e da Cristina para resolver o problema da Sophia foi muito bonito de ver, o que nos inspira a cada dia, a cuidar destes pequenos.” Dra. Michele

Sophia recuperada após tratamento

Este foi o depoimento emocionante que recebemos após o tratamento da Rosana, que após o resgate a adotou e agora é tutora da Sophia.

“Cheguei (no Odontovet) com uma gata que resgatei, ela foi atropelada e estava com a mandíbula quebrada! A Dra. Michele prontamente nos atendeu e já encaminhou para cirurgia sem mesmo saber se tínhamos condições de arcar com as despesas. Diferente de outro lugar que a levei, onde o veterinário nem se deu ao trabalho de levantar da cadeira quando soube que era uma gata de rua, simplesmente mandou a recepcionista me falar pra procurar um hospital público. A Dra. Michele foi um anjo, pois a gata, estava com o canal exposto, mandíbula quebrada e tremendo e chorando de dor! Uns dias depois a Sophia (nome que demos para ela) foi tirar a resina da mandíbula, está muito bem e claro que a adotamos! Obrigada Dra. Michele e equipe, quando o trabalho é feito com amor ele fica perfeito! É perceptível que vcs fazem com Amor e amam o q fazem!”

Mais uma vez agradecemos à confiança dos tutores em nosso trabalho e nos sentimos honrados de poder cuidar dos pets que tanto precisam!

Leia mais

Facilitando a hora de dar remédio para os pets

Alguns pets, após passarem em consultas e tratamentos, precisam tomar medicação em casa, para que sua recuperação seja completa. Mas nem sempre eles colaboram com esta parte importante do cuidado à saúde, e, por isso, trouxemos dicas para tornar esse momento menos difícil para os tutores e mais tranquilos para os peludos.

Por terem cheiros, gostos e texturas diferentes, os pets podem ficar relutantes para ingerir os remédios receitados.

Geralmente para os gatos a administração de medicamentos é um pouco mais complicada, já que eles se estressam mais facilmente e podem arranhar, mas é possível tornar esse momento mais tranquilo para todos.

  • Administre o medicamento em um ambiente tranquilo, sem barulho e/ou grandes movimentações.
  • Deixe que apenas uma pessoa dê o remédio, sempre no mesmo horário e local, fazendo com que o pet se acostume com a rotina.
  • Não estresse seu pet antes de medicá-lo, aproveite a preparação do ambiente e deixe seu amigo peludo tranquilo também.
  • Distraia e brinque com seu pet antes e após medicá-lo.
  • Tente administrar a medicação próximo aos horários de passeio, fazendo a atividade antes ou logo após dar o remédio.

Se essas dicas não ajudarem seu pet a tomar a medicação e a batalha continuar, se atente a alguns truques de acordo com o tipo de medicação (comprimidos ou líquido): Para comprimidos, experimente colocar dentro de alimentos apetitosos, como petiscos moles, carnes, frutas ou pedaços de queijo (de forma controlada), mas prestando atenção se nos próximos 30 minutos ele não cuspirá o remédio. Em caso de líquidos, aplique o remédio com a ajuda de uma seringa, colocando no canto da boca, com ela fechada, e aplicando com calma para não causar engasgos.

Em casos extremos, onde o animal é muito bravo ou arisco, é importante avaliar outras formas de manipulação dos remédios, como na forma de injetáveis, a fim de evitar estresses e traumas.

Com informações do site PetCidade 
Leia mais

Dia do Gato: 6 curiosidades sobre felinos

Dia 17 de Fevereiro é comemorado o Dia Mundial do Gato, e, para marcar a data do animal de estimação mais popular do mundo e da internet, trouxemos 5 curiosidades sobre a saúde bucal deles.

  1. 80% dos gatos com 3 anos ou mais possuem algum tipo de problema bucal
  2. O principal problema é a doença periodontal, causada pelo acúmulo de placa bacteriana
  3. Gatos possuem duas dentições: nascem com 26 dentes de leite e ao sexto mês trocam para a arcada definitiva, que possui 30 dentes.
  4. Agressividade e miados constantes sem motivo aparente são um dos sinais de problemas
  5. O primeiro sintoma de problemas bucais mais graves é o mau hálito
  6. Gatos podem e DEVEM ter seus dentes escovados diariamente, porém é necessário que sejam acostumados desde filhotinhos.

 

Para saber mais sobre saúde bucal para gatos e cuidar da boca do seu felino, agende uma consulta conosco através do email odontovet@odontovet.com

Leia mais

Ilustrações traduzem o que significam as posturas caninas

Diferente dos humanos, os nossos cães não conseguem falar, mas se comunicam e se expressam de outras maneiras, principalmente através da linguagem corporal, suando posturas e trejeitos para expressar sentimentos e desejos.

Pensando nisso uma ilustradora brasileira chamada Momozi se inspirou no seu cachorro, um labrador chamado Joca Maloca, para criar uma série de ilustrações  nomeadas “Au-auto-ajuda”, onde é mostrado de uma forma divertida o que significa algumas das posturas mais comuns feitas pelos nossos pets.

Veja algumas imagens abaixo e confira mais sobre o mundo dos cães em tirinhas no seu blog:

Seu pet faz essas coisas? Agora você já sabe o que elas significam!

Veja mais aqui: http://jocamaloca.blogspot.com.br/

Leia mais

Alimentos que ajudam a prevenir o câncer em cães

Alguns dos alimentos naturais que adoramos consumir nosso dia a dia podem ser compartilhados com nossos pets para auxiliar na prevenção do câncer e dar mais longevidade e qualidade de vida a eles.

Conheça alguns dos alimentos mais comuns de se ter em casa: 

Maçã

A fruta é alimento com propriedades antiangiogênico, ou seja, capaz de bloquear a angiogênese. Este tipo de alimento faz as células cancerígenas “morrerem de fome” e possui um índice de resposta de 60% em testes feitos com cães.

Banana

Essa fruta tão apreciada por nós humanos é rica em antioxidantes, que ajudam na redução do risco de câncer e previne doenças cardíacas

Brócolis e Couve-flor

Estes vegetais são riquíssimos em glucosinolatos, substância que ajuda a prevenir que células normais se transformem cancerígenas. A couve-flor contém também sulforafano, que auxilia o fígado na produção de enzimas anticarcinogênicas.

 

 

 

 

 

 

Salsinha

Assim como a maçã, a salsinha possui propriedades antiangiogênicas, e muitos cães adoram mastigar suas folhinhas!

 

Pimentão Vermelho

O pimentão é uma fonte rica de xantofilas, um nutriente com propriedades antioxidantes e anti-cancerígenas, fortalecendo o sistema imunológico dos cães. Possui também um teor nutritivo significadamente maior que o verde, incluindo o licopeno, que ajuda na proteção contra alguns tipos de câncer e reduz o risco de doenças do coração.

Leia mais

Entenda mais sobre a saúde bucal dos Ferrets (furões)

Conheça um pouco mais dos tratamentos oferecidos no Odontovet para os Ferrets (ou Furões), esses pequenos travessos!

Os ferrets são, em geral, animais bastante agitados e adoram brincar de se esconder, além de serem ótimos exploradores do ambiente onde vivem. Por conta dessa personalidade enérgica os ferrets algumas vezes se envolvem em acidentes e a fratura dos dentes é uma das ocorrências mais frequentes entre nossos atendimentos.

Antes e depois do tratamento de canal e restauração pós-fratura

Em casos como este acima em que a fratura expôs a polpa (“nervo”) do dente, causando dor, é indicado realizar o tratamento de canal e, após isso, a restauração em resina. Veja aqui como são feitos nossos tratamentos de restauração.

Outro caso bastante comum são os de Ferrets com doença periodontal (mau hálito, tártaro e inflamação na gengiva). Esta doença prejudica muito a saúde bucal dos pets e por isso recomendamos que seja criado o hábito de se escovar os dentes do seu ferret regularmente, principalmente após passar por tratamento periodontal, como no caso abaixo.

Antes e depois do tratamento periodontal.

Para agendar uma consulta ou tirar dúvidas, entre em contato conosco pelo email odontovet@odontovet.com.br.

Leia mais