Extração dos dentes de leite

Quando os dentes de leite do meu pet caem?

A persistência dos dentes de leite é muito comum em cães de raças pequenas (Poodle, York, Maltês…) e deve ser tratada precocemente para evitar que os dentes permanentes nasçam tortos e também o aparecimento precoce da doença periodontal (os dentes ficam muito juntos e isto facilita o acúmulo de placa bacteriana). A idade de troca dos dentes em cães e gatos é aproximadamente do 4o ao 6 o mês de vida. O normal na troca de dentes é que o “dente de leite” caia e somente depois nasça o dente permanente. Caso o dente permanente comece a nascer e o dente “de leite” ainda esteja no lugar, este deverá ser imediatamente extraído para proporcionar espaço para os dentes permanentes nascerem. Mesmo que o dente venha a cair mais tarde, o dente permanente pode ficar em posição errada, prejudicando a saúde do seu pet. Então, não hesite, se você notar que um ou mais dentes permanentes estão començando a nascer e o dente de leite ainda não caiu, procure uma de nossas unidades para a extração destes dentes. O procedimento é tranquilo, não há necessidade de internação e seu filhote vai para casa no mesmo dia. A recuperação também é tranquila e em geral, no dia seguinte, eles já estão brincando e comendo normalmente.

Nas imagens abaixo, você irá entender melhor a necessidade de extrair os dentes de leite no momento certo, quando eles não caem.

Imagem da boca de um filhote de cão de 6 meses de idade

Imagem da boca de um filhote de cão de 6 meses de idade com persistência do canino de leite superior (a). O dente permanente (b) nasceu em posição errada não havendo espaço para o canino inferior (c). Além disso, por os dentes estarem muito próximos, há um maior acúmulo de placa bacteriana que leva a inflamação da gengiva e formação de tártaro.

Imagem da boca de um filhote de cão de 6 meses de idade com persistência do canino de leite superior

Imagem da boca de um filhote de cão de 6 meses de idade com persistência dos caninos de leite superior (a) e inferior (e). O dente permanente (c) nasceu mais para frente, em posição errada, não havendo espaço para o canino inferior (d) que está muchucando o céu da boca. Além disso, por os dentes estarem muito próximos, há um maior acúmulo de placa bacteriana que leva a inflamação da gengiva (b).

Imagem da boca de um filhote de cão de 6 meses de idade com persistência dos caninos de leite superior (a) e inferior (e).

Imagem da boca do filhote após 15 dias da extração dos caninos de leite onde pode-se notar que os dente permanente canino inferior (d) conseguiu espaço para se encaixar. A oclusão normal favorece a saúde bucal.

Imagem da boca do filhote após 15 dias da extração dos caninos de leite

Imagem da boca de um cãozinho de 5 meses onde pode-se notar que os incisivos inferiores já foram trocados. Os caninos inferiores de leite (a) ainda estão no lugar e os caninos permanentes (b) estão erupcionando fora de posição, mais para dentro da boca. Se não intervirmos extraindo os dentes de leite, os caninos permanentes continuaram a crescer e irão machucar o céu da boca. Recomenda-se a extração imediata dos caninos de leite.

Imagem da boca de um cãozinho de 5 meses onde pode-se notar que os incisivos inferiores já foram trocados.

Imagem da boca de um filhote de cão de 6 meses de idade apresentando o encaixe normal dos dentes permanentes: (a) canino superior, (b) canino inferior e (c) terceiro incisivo superior.