Radiografia Intra-oral

Radiografia Odontológica (Intra-Oral) e Sondagem Periodontal

A radiografia odontológica é indispensável ao atendimento odontológico de qualidade para animais de estimação. Esta é realizada com o filme odontológico colocado dentro da boca do paciente. Dessa forma, permite menor intereferência de outras estruturas e melhor qualidade. Como os pets não entendem o que está sendo feito, em geral, é necessário sedar o paciente para uma boa radiografia. Na maioria das vezes, as radiografias são feitas durante o tratamento odontológico sempre que houver alteração da sondagem periodontal (exame que me o espaço entre a gengiva e o dente. Este espaço é aquele que nós passamos o fio dental em nossa boca).

Veja alguns exemplos de como uma radiografia pode ajudar a garantir um diagnóstico e tratamento corretos influenciando positivamente na saúde oral:

Doença periodontal

A radiografia intra-oral é fundamental durante um tratamento periodontal para se avaliar a perda do osso que segura o dente na boca, veja exemplos:

Aspecto normal do canino

Aspecto normal do canino, 1° e 2° pré-molares superiores de um cão. Dentes aparentemente limpos e gengiva aparetemente normal.

Sondagem periodontal do 2° pré-molar superior.

Sondagem periodontal do 2° pré-molar superior. A sonda passa por baixo do dente entre as raízes porque o osso foi destruído pela doença periodontal. Isto funciona como um foco infeccioso.

Radiografia intra-oral do canino.

Radiografia intra-oral do canino, 1°, 2° e 3° pré- molares superiores. Existe significava perda de osso (áreas mais escuras) ao redor do 1° e 2° pré-molares, resultado da evolução da doença periodontal. Este dentes precisam de tratamento periodontal avançado na tentativa de mantê-los. caso contrário, estariam funcionando como um foco infeccioso e deveriam ser extraídos.

Vista lateral da boca de um paciente canino. Prensença de tártaro e inflamação na gengiva.

Vista lateral da boca de um paciente canino. Prensença de tártaro e inflamação na gengiva (Doença periodontal).

Área selhecionada da imagem ao lado dos dentes

Área selhecionada da imagem ao lado dos dentes 1°, 2° e 3° pré-molares superiores direitos com pequena retração gengival no 1° e 2° pré-molares.

Radiografia intra-oral do 1°, 2° e 3° pré-molares superiores direitos.

Radiografia intra-oral do 1°, 2° e 3° pré-molares superiores direitos. Notar áreas escuras de grande perda óssea. Dentes 1° e 2° pré-molares precisão de tratamento periodontal avançado caso contrário deverão ser extraídos para remover este foco infeccioso da boca. Tudo isto poderia ter sido evitado com cuidados odontológicos em casa e avaliação/tratamento profissional regularmente.

Vista lateral da boca de um paciente canino. Prensença de tártaro e inflamação na gengiva

Vista lateral da boca de um paciente canino. Prensença de tártaro e inflamação na gengiva (Doença periodontal). Percebe-se retração da gengiva entre o 4°pré-molar e 1°molar superiores e também entre o 1° e 2° molares inferiores.

Retração da gengiva entre o 1° e 2° molares inferiores em maior detalhe.

Retração da gengiva entre o 1° e 2° molares inferiores em maior detalhe.

Radiografia intra-oral do 1° e 2° molares inferiores.

Radiografia intra-oral do 1° e 2° molares inferiores. Setas brancas indicam área de perda óssea causada pela evolução da doença periodontal. O 2° molar está condenado a extração, o que poderia ter sido evitado com cuidados odontológicos em casa e avaliação/tratamento profissional regularmente.

Reabsorção dentária em gatos

As reabsorções dentárias (quando o próprio organismo destroi o próprio dente) são muito comuns nos gatos. Estudos mostram que elas podem acontecer em 70% dos gatos. A radiografia intra-oral pode detectar reabsorções que muitas vezes não podem ser vistas no exame clínico.

Canino superior direito de um gato

Canino superior direito de um gato pela face que fica voltada para dentro da boca (céu da boca). Presença de um ponto de inflamaçào na gengiva e pequena cavidade (buraco).

Radiografia deste canino revela que não existe mais raiz que foi completamente reabsorvida pelo organismo. Dente deve ser extraído.

Radiografia deste canino revela que não existe mais raiz que foi completamente reabsorvida pelo organismo. Dente deve ser extraído.

Avaliação da vitalidade do dente

Uma das maneiras de saber se o dente está vivo ou se apresenta algum problema com a parte viva do dente (“nervo” ou polpa) é fazendo uma avaliação radiográfica (Raio X intra-oral).

Fratura do dente 4° pré-molar superior direito.

Fratura do dente 4° pré-molar superior direito. Não há aparente exposição do polpa (“nervo”). Presença de tártaro e ferida na transição da gengiva para a mucosa.

Radiografia intra-oral mostra lesão indicativa de abscesso (setas amarelas) o que indica que este dente está desvitalizado e precisa de tratamento de canal.

Radiografia intra-oral mostra lesão indicativa de abscesso (setas amarelas) o que indica que este dente está desvitalizado e precisa de tratamento de canal.

Em cerca de 92% dos casos de escurecimento dental a radiografia intra-oral revela que o “nervo” do dente está morto e precisa ser tratado o canal.

Escurecimento do canino inferior esquerdo.

Escurecimento do canino inferior esquerdo.

Radiografia intra-oral comparativa entre os dois caninos.

Radiografia intra-oral comparativa entre os dois caninos inferiores revela que o dente que está escurecido apresenta canal mais amplo que o dente canino do outro lado, o que indica que o dente está desvitalizado e deve ter seu canal tratado.

Radiografia de crânio convencional de paciente canino. Seta indica fratura da mandíbula.

Radiografia de crânio convencional de paciente canino. Seta indica fratura da mandíbula.

Radiografia intra-oral da região da fratura confirma fratura completa do ramo mandibular.

Radiografia intra-oral da região da fratura confirma fratura completa do ramo mandibular. A radiografia intra-oral permite a desobreposição de estruturas facilitando o diagnóstico e tratamento.