Tratamento Periodontal (Periodontia)

Doença Periodontal

A PERIODONTIA é a área da odontologia que cuida da saúde bucal, especialmente, da gengiva e outras estruturas que estão ao redor do dente. Se o seu pet tem mau hálito e tártaro, por exemplo, ele precisa de cuidados nesta área. O mau hálito é um forte indicativo que algo não vai bem e a saúde oral de seu pet está em risco.

Outros sinais que indicam problemas periodontais (doença periodontal) são: inflamação e sangramento da gengiva, presença de tártaro, mobilidade dos dentes, salivação excessiva, dentre outras.

A Doença Periodontal é a inimiga número 1 da saúde bucal dos pets. Cerca de 80% dos cães e gatos adultos sofrem deste mal. Como não temos o hábito de olhar a boquinha deles, ela pode passar despercebida e colocar em risco sua saúde. Se não for controlada, pode levar desde uma inflamação da gengiva até a perda dos dentes, e se não bastasse isso, ainda pode comprometer o coração, pulmão, fígado, rins e outros órgãos vitais. Entenda como a doença se desenvolve:

doença periodista canina imagem 1Uma boca saudável é caracterizada por ter dentes brancos, gengiva e mucosas saudáveis. Em geral, a gengiva e as mucosas são róseas mas em alguns pacientes pode ter áreas de pigmentação escura ou serem totalmente pigmentadas. O esquema mostra um dente e as estruturas que seguram este dente na boca (osso e ligamentos periodontais). A gengiva protege o osso.Por isto, ela deve ficar bem grudada ao dente.

A placa bacteriana se acumula causando inflamação da gengiva, que se “solta” do dente (bolsa periodontal) permitindo que as bactérias invadam o ligamento periodontal e o osso levando a destruição gradativa destas estruturas que sustentam o dente (periodontite). Com o tempo, o dente começa a ter mobilidade e pode cair. As manchas amarronzadas na imagem da boca do cão e no esquema representam o tártaro que é a placa bacteriana calcificada pela saliva. O tártaro torna a superfície dos dentes aspera facilitando o acúmulo de maior quantidade de placa agravando a doença. Veja exemplos da evolução da Doença periodontal.

Com estas informações básicas, você já pode olhar o boca de seu pet e verificar se ele tem doença periodontal. Em caso afirmativo, ele precisa de um tratamento profissional.

Algumas considerações são importantes:

  • o mau hálito indica que existe atividade bacteriana, ou seja, infecção na boca de seu pet e ele precisa de cuidados odontológicos;
  • não é a quantidade de tártaro que indica a gravidade da doença. Em qualquer grau, a doença periodontal deve ser tratada. Não espere juntar mais tártaro e piorar algo que pode ser resolvido facilmente;
  • cães e gatos tem um senso de sobrevivência aguçado o que faz com que eles comam mesmo quando estão com dor de dente. Eles também engolem os alimentos, até mesmo a ração, sem mastigar. Portanto, não ache que o fato dele estar comendo significa que esteja tudo bem com sua saúde oral;
  • o profissional especializado em odontolgia veterinária é a pessoa mais indicada para avaliar a condição de saúde oral do seu pet e determinar se ele precisa de um tratamento profissional ou iniciar uma rotina de cuidados odontológicos em casa;
  • leve seu pet pelo menos uma vez por ano para uma avaliação odontológica especializada.

 

Quando os dentes “de leite” não caem

Canino de leite

Canino de leite superior persistente. Canino permanente nasceu mais para frente não permitindo que o canino inferior encaixe na posição certa.

Radiografia canino de leite

Radiografia revela persistência do canino de leite (a raiz não foi reabsorvida, por isso não caiu).

A persistência dos dentes de leite é muito comum em cães de raças pequenas (Poodle, York, Maltês…) e deve ser tratada precocemente para evitar que os dentes permanentes nasçam tortos e também o aparecimento precoce da Doença periodontal (os dentes ficam muito juntos e isto facilita o acúmulo de placa bacteriana). A idade de troca dos dentes em cães e gatos é aproximadamente do 4° ao 6° mês de vida. O normal é que o dente “de leite” caia e somente depois nasça o dente permanente. Caso o dente permanente comece a nascer e o dente “de leite” ainda esteja no lugar, este deverá ser imediatamente extraído. Mesmo que o dente venha a cair mais tarde, o dente permanente pode ficar em posição errada. Saiba mais sobre dentes de leite.