Todos os posts por Odontovet Social

Conheça as Diretrizes Mundiais em Odontologia Veterinária

Todo campo de atuação possui diretrizes – conhecidas também como “guidelines” -, que são documentos que padronizam as práticas mais adequadas de cada função.

No mundo da medicina veterinária este documento de diretrizes é confeccionado e publicado pela Associação Mundial de Veterinários de Pequenos Animais (World Small Animal Veterinary Association – WASAVA), buscando padronizar as práticas clínicas nas áreas da veterinária. Para confecção dos documentos selecionam-se temas com relevância global, e então um grupo de especialistas discutem as melhores formas de abordagem clínica, diagnóstico e tratamento. Os documentos já disponíveis abrangem guias de Vacinação, Nutrição, Controle da Dor e mais alguns.

No final de 2017, no entanto, finalmente foi criado as Diretrizes Globais em Odontologia Veterinária (Global Dental Gidelines), padronizando as práticas deste campo de atuação. Foram consultados onze especialistas de diferentes partes do mundo para a confecção do documento.

O hotsite da WASAVA voltado para as Diretrizes de Odontologia Veterinária explica porque a criação deste guia se fez tão importante (em tradução livre):

  • Pois a doença oral é uma condição extremamente comum e dolorosa para os animais.
  • A doença oral é, inclusive, o problema de saúde mais comum da medicina veterinária em pequenos animais.
  • Doenças orais são muito dolorosas, e apesar disso, os animais raramente apresentam sinais clínicos, sendo muitas vezes negligenciados até que estejam em estado avançado.
  • Existem numerosas consequências locais e regionais vindas da infecção oral.
  • Devido a dor e a infecção, incluindo as consequências locais, regionais e sistêmicas, as afecções orais e dentárias não tratadas diminuem consideravelmente a qualidade de vida do paciente.
  • Este documento pode ser considerado programa de bem-estar animal.
  • Existe uma ausência sobre educação odontológica durante a formação de médicos veterinários (falamos sobre isso neste post)
  • Menos de 20% das faculdades de Medicina Veterinária nos EUA possuem um dentista veterinário na equipe (no Brasil este número é ainda menor, sendo necessário fazer cursos de pós-gradução para formar dentistas veterinários).

    Baseado nas informações acima e em outros fatores:
  • Ainda há um significante número de mitos sobre odontologia veterinária.
  • Doenças orais, dentais, maxilofaciais são consideradas graves, e mesmo assim são negligenciadas.
  • A desinformação (dos médicos veterinários) não apenas resulta em um tratamento e/ou diagnóstico errôneo ou negligenciado, mas também abre precedentes para que os tratamentos sejam feitos de forma completamente errônea, como a “raspagem de tártaro” (tartarectomia) sem o uso de anestesia.
  • Os erros e confusões na detecção das causas das doenças periodontais criou uma cultura de uso indiscriminado e em excesso de antibióticos para o tratamento dos problemas orais.

Por último, o site oficial ressalta que: “Não há área da medicina veterinária que necessite de mais atenção, educação e padronização em suas práticas clínicas quanto a odontologia”.

Nós do Odontovet temos orgulho de ressaltar que nos mais de 20 anos de nosso trabalho dentro da odontologia veterinária sempre estivemos alinhados com as diretrizes e trabalhamos constantemente para uma mudança do cenário no Brasil, educando profissionais e atendendo com excelência pacientes, desmistificando pensamentos populares e informando toda a comunidade.

Para ler o documento completo, acesse: http://www.wsava.org/sites/default/files/Dental%20Guidleines%20for%20endorsement_0.pdf

Para pré-agendamento de consultas acesse nossa página inicial ou envie um email para odontovet@odontovet.com

Leia mais

Tratamento periodontal em cães idosos com Dolores – Caso

Recebemos a pequena senhora Dolores, de 17 anos, em nossa clínica e o caso dela é uma forma importante de mostramos como animais com idade mais avançada quando apresentam problemas bucais podem (e devem) ser tratados com anestesia sem problema algum!

A história da Dolores começa quando ela começou a apresentar dificuldade para comer e ficar muito seletiva com o que comia. Por conta disso Dolores realizou vários exames, e foi detectado que ela estava com uma infecção bem relevante. Então realizou ultrassom abdominal para saber se ela estava com infecção urinário ou de útero, porém o médico veterinário descartou esta possibilidades.

Então Dolores passou a se tratar com antibióticos e seu estado geral melhorou, inclusive sua halitose (bafinho) sumiu, e a mesma voltou a comer normalmente. Mas bastou parar o remédio que o bafo voltou a se manifestar e Dolores parou de comer novamente.

Nossa suspeita e a do outro médico veterinário foi que este quadro estava ligado à doença periodontal que Dolores apresentava quando chegou até nós. Foi realizado então todos os tratamentos necessários, como limpeza profunda da boca.

Dolores Antes – Dolores Depois

Dolores antes da anestesia e tratamento

Dolores após a anestesia e tratamento

A pequena Dolores foi super bem no procedimento e após uma hora da anestesia já estava respondendo super bem, veja no vídeo abaixo:

Casos de cães idosos com problemas bucais são comuns e ressaltamos que garantir uma boa saúde oral é essencial em qualquer idade, e para isso o importante é realizar periodicamente consultas, prevenindo que doenças periodontais se instalem e prejudiquem a qualidade de vida.

Para agendar uma consulta conosco acesse a página inicial ou entre em contato através do email odontovet@odontovet.com.br.

Leia mais

Urso com língua gigante é salvo e recupera qualidade de vida após cirurgia

Um urso de apenas 18 meses que vive em Myanmar, chamado Nyan Htoo, teve sua vida mudada após pegar uma infecção na língua, causada por uma picada de mosquito, que se transfornou na doença chamada elefantíase. A língua de Nyan chegou a pesar mais de 3kgs, ficando para fora da boca e eventualmente se arrastando pelo chão, o que dificultava toda a vida do animal.

Antes – Dificuldades para viver de forma normal. Fonte: Herald Scotland

Foi então que uma equipe de veterinários da Universidade de Edimburgo foi chamada para auxiliar os veterinários locais na remoção de parte da língua. Mesmo assim, após alguns meses a doença retornou e de forma pior, afetando toda qualidade de vida do urso. Apesar de brincar e viver de forma aparentemente normal, o urso Nyan diversas vezes precisava apoiar a cabeça nas grades para se manter em pé e estava com os dentes constantemente machucados por conta do peso da língua.

Após uma cirurgia que durou cerca de quatro horas, toda parte do órgão que estava doente foi removida com sucesso, e após algumas semanas de recuperação o urso já aparentava uma melhora significativa na qualidade de vida.

Após a cirurgia – Vida mais feliz! Fonte: Herald Scotland

Os veterinários acreditam que esta cirurgia foi primordial para que Nyan pudesse viver de forma mais digna e livre. Hoje ele já pode comer com mais conforto, dormir em posições naturais sem incômodos e aproveitar toda sua longa vida!

Este caso nos mostra mais uma vez que saúde oral é algo que afeta muito a vida de qualquer animal e que um olhar cuidadoso pode devolver a ele uma vida normal com mais qualidade e saúde.

 

Marque uma consulta hoje mesmo através do email odontovet@odontovet.com.br e garanta mais qualidade de vida para seu pet.

 

Fonte

Leia mais

Depoimento: Pipoca

Recebemos na semana passada o depoimento da tutora da Pipoca sobre seu tratamento e recuperação.

Quando atendemos a Pipoca ela já havia sido operada por colega de profissão, mas a cirurgia não deu certo. Então sua tutora nos procurou, fizemos o diagnóstico correto (Sialocele, que é um acúmulo de saliva em uma bolsa – o mesmo caso do Nero) e então realizamos a cirurgia, fazendo a remoção da glândula.

Abaixo o depoimento que sua tutora Inaie Sanchez nos enviou:

“A competência da equipe da Odontovet é extraordinária. Isso sem falar na atenção e carinho dispensados A Pipoca. O tratamento VIP começa já na recepção com a Miriam, que conseguiu encaixe com a excelente Dra. Michele. Para quem está cansado de peregrinar por clínicas A procura de um bom atendimento dentário para o seu bichinho de estimação, a Odontovet é um achado! Acreditem, o lugar é “top”!”

Mais uma vez, nós que agradecemos a confiança em nosso trabalho!

Para dúvidas ou pré agendamento de consultas entre em contato através do email odontovet@odontovet.com

Leia mais

Ações voluntárias do Odontovet são uma maneira de contribuir para a formação do médico veterinário

Todos os doutores do Odontovet realizam palestras e apresentações em congressos e faculdades de forma totalmente voluntária, com o objetivo de contribuir para que os profissionais que estão ingressando no mercado estejam conscientes e saibam o mínimo de odontologia, podendo identificar problemas e ajudar os pacientes a terem saúde e mais qualidade de vida de forma integral.

“Muitos alunos de medicina veterinária estão se formando sem ter o conhecimento básico dos problemas odontológicos e o quanto isso pode influenciar na saúde dos animais.” frisa Dr. Herbert Correa.

Em uma das palestras dada numa universidade de São Paulo, entre os 50 alunos presentes nenhum deles nunca havia tido uma aula de odontologia veterinária. Quando perguntados sobre a doença que mais ocorreu em uma amostra de 1000 cachorros, nenhum dos alunos apontou que poderia ser problema odontológico.

“Nosso desafio sempre foi fazer essa conscientização.” afirma Dr. Herbert Correa.

A importância e o desafio das palestras ministradas é mostrar, além da importância da odontologia, também a importância de fazer uma radiografia da boca dos animais para identificar qualquer tipo de problemas.

Em um estudo foi detectado que cerca de 30% dos animais possuíam algum tipo de problema nos dentes identificado através da radiografia, o que não seria possível através apenas do exame clínico, feito de forma apenas visual.

Outro estudo feito com gatos identificou que em 40% dos animais foram encontrados alterações nos dentes que não eram vistos apenas com exame clínico.

Hoje em dia recomenda-se que, mesmo em uma limpeza de rotina, seja radiografada toda a boca do animal, pois, caso contrário, o médico veterinário assume o risco de deixar passar lesões profundas que podem causar dores e diminuir a saúde e qualidade de vida dos pacientes.

Nós do Odontovet nos comprometemos com a disseminação da informação de forma ética e responsável, buscando sempre o melhor para os pets e seus tutores.

 

Para mais informações ou dúvidas, entre em contato através do email odontovet@odontovet.com

Leia mais

Nova família e mais qualidade de vida para o Nero!

Hoje vamos falar um pouco da história do Nero, um cão SRD que foi resgatado de maus tratos e que não conseguia um novo lar por estar com um problema bucal que afetava sua face.

A ONG Clube dos Vira Latas tentava há 6 meses conseguir um lar e um tutor para o Nero, porém sem sucesso algum. Então a ONG, acreditando ser um tumor, nos procurou para realizarmos uma avaliação e o tratamento, buscando melhorar a saúde do Nero e também conseguir um adotante para ele.

Após a consulta e uma tomografia, chegamos ao diagnóstico de sialocele, um problema nas glândulas salivares que causa um acumulo de saliva na forma de uma “bexiga”.

Em casos como o do Nero, com aumentos de volume na região da face ou dentro da cavidade oral, o diagnóstico correto é muito importante, pois o tratamento e a evolução do quadro podem ser diferentes. O tratamento realizado com o Nero é o mais indicado paras estes casos que acometem glândulas salivares: a remoção cirúrgica da glândula afetada. 

Nero teve uma recuperação excelente e, em apenas 15 dias, ele conseguiu um lar e foi adotado, estando em fase de adaptação com sua nova família!

Abaixo confira mais algumas fotos do antes e depois do Nero, que está muito saudável, animado e feliz!

Antes

Depois

Para mais informações, dúvidas ou agendamento de consultas entre em contato através do email odontovet@odontovet.com

Leia mais

O Odontovet torna-se a 1ª clínica de odontologia veterinária a aceitar Bitcoin

O Odontovet foi o primeiro centro de odontologia veterinária do Brasil e possui 23 anos de história. E é com grande prazer que anunciamos que somos também o primeiro centro de odontologia veterinária do Brasil a aceitar pagamentos com Bitcoin!

O Bitcoin é uma criptomoeda virtual criada em 2009 que não é controlada por nenhuma instituição financeira central e pode ser criada ou transferida através de protocolos online, com baixos custos de comissão e menos burocracia nas operações. 
Com bitcoins é possível contratar diversos serviços ou comprar coisas no mundo inteiro, estimando-se que no futuro esta seja uma moeda universal. Atualmente é possível compra a moeda em sites de câmbio ou ‘minerar’ moedas com a ajuda de supercomputadores.

Entenda melhor o que é Bitcoin com este vídeo e bem vindo ao futuro!

Leia mais

Atenção às “soluções” para acabar com o mau hálito em cães

Por toda internet é possível encontrar diversos produtos que prometem acabar com o mau hálito, além e medidas paliativas para disfarçar o mau-hálito nos cães, porém, essas “soluções” para acabar com o bafinho dos cães podem ser uma cilada!

O mau hálito é um sintoma de infecção na boca causado pela proliferação de bactérias da placa que fermentam os resíduos de alimentos e liberam compostos, entre eles o enxofre, o principal responsável pelo cheiro ruim. Por isso o mau hálito funciona como um “alarme” de que algo na boca do seu pet não vai bem, então qualquer solução, produto ou dica “infalível” para acabar ou disfarçar o mau hálito que não seja realizar um tratamento periodontal é um erro grave que muitos tutores de animais comentem com frequência. 

Dr Herbert enfatiza que “essas soluções são comparadas a desligar um alarme de incêndio quando ele dispara ao invés de descobrir de onde vem o fogo para apagá-lo”.

Portanto ao perceber sinais de bafinho no seu pet, marque uma consulta com um dentista veterinário ou fale conosco através do email odontovet@odontovet.com.br.

Leia mais

Os cães tem cárie?

Sim, os cães tem cárie, mas numa frequência menor que nos seres humanos.

Um estudo conduzido pelo Dr. Frase A. Hale publicado no Journal of Veterinary Dentistry identificou a incidência de cárie em apenas 5,25% dos cães. Em um levantamento realizado no Odontovet entre os anos de 2001 a 2005 onde foram avaliados 2300 cães, a incidência de cárie foi de 1,1%.

Mas, se eles não escovam os dentes, por que eles não tem tanta cárie como nós seres humanos?
A cárie é o resultado do acúmulo de placa bacteriana que fermenta o açúcar disponível na dieta e produz ácido desmineraliza e destrói o dente.
Portanto, provavelmente a combinação de vários fatores explique a menor incidência de cáries em cães quando comparado aos seres humanos. Algumas da hipóteses:

  • A presença de flúor na água potável reduziu a incidência de cárie em humanos e provavelmente, contribuiu também para que os cães tivessem menos cáries.
  • A dieta dos cães em geral não é cariogênica, ou seja, não é rica em açúcar, carboidratos refinados e pH baixo (p. ex: refrigerante).
  • O pH da saliva do cão é mais alto (7,5) que dos seres humanos (6,5) e o desenvolvimento da cárie é favorecido num meio ácido.
  • A anatomia dos dentes dos cães onde os dentes ter um formato mais cônico, não tem tantas fóssulas, fissuras e cicatrículas como nos dentes humanos, além dos dentes serem mais separados uns dos outros não facilita a retenção de alimento e placa bacteriana.
  • A microbiota (tipos de bactérias) provavelmente não é específica para produzir cárie. Estudos mostram que a presença do Streptococcus mutans (principal bactéria que causa cárie em humanos) é baixa na boca de cães.

Mesmo a incidência de cárie sendo baixa, alguns cães desenvolvem cáries, como nesta foto abaixo:

Presença de cárie na fossa oclusal do dente 1o molar superior de um paciente canino. Este é o dente onde mais aparece cárie em cães, provavelmente pelo fato de ser o dente mais próximo da anatomia do dente do ser humano, com uma fossa onde pode acumular alimento e placa bacteriana, favorecendo o desenvolvimento da cárie. Um detalhe é que com o paciente acordado é muito difícil ver esta parte do dente que fica para dentro da boca, daí a necessidade de avaliações frequentes com um veterinário especializado em odontologia.

Esse são só alguns dos motivos pelos cães tem menos incidência de cáries que os humanos, mas isso não anula ou diminui a importância de realizar escovações regularmente e visitas ao dentista veterinário!

Agende sua consulta conosco em odontovet@odontovet.com.br

Foto em Destaque: Fonte

Leia mais

Palestra na UnG sobre odontologia em roedores e coelhos

Na última quarta-feira, dia 16 de agosto, o Dr. Herbert Correa ministrou uma palestra na UnG abordando a odontologia em roedores e coelhos, voltada para um grupo de estudo de animais selvagens e silvestres.

Cada dia mais estes pequenos animais têm sido adquiridos como pets, e, quando levados para casa, na maior parte das vezes são alimentados de forma errada (basicamente apenas com ração), enquanto na natureza eles são herbívoros. O resultado disso é um desequilíbrio entre o crescimento e o desgaste dos dentes. Daí então surgem os problemas odontológicos.

Confira as fotos de como foi a palestra.

Leia mais