Todos os posts por Odontovet

Cuidados preventivos para as férias

Assim como é importante cuidar da sua saúde, também é importante cuidar do seu pet antes das férias. Confira aqui o que é importante para o seu pet para curtirem tranquilos esse período.

Está chegando o melhor período do ano!

Aproveite essa checklist para te ajudar antes da sua viagem em família:

• Leve ao médico veterinário: Um check-up irá dizer se está tudo em ordem quanto a saúde em geral do seu pet. Desde controle de pulgas e carrapatos, vacinas, até vermifugação, o veterinário poderá te dar tranquilidade para que você não tenha nenhuma surpresa.

• Verifique o estoque de alimentos: Garanta que a alimentação do seu pet não seja prejudicada calculando uma quantidade de alimentos que seja adequada para o período.

• Consulte se o destino é Pet Friendly: Se você optou por viajar com seu pet, não se esqueça de verificar se o local aceita pets e está preparado estruturalmente para receber vocês. Aproveite e pesquise atividades próximas que possam fazer em família, sem precisar deixar o pet sozinho.

• Cuide do transporte: Antes de sair de casa tenha certeza de que o transporte está de acordo com as leis vigentes. Nos carros cães e gatos precisam usar cinto de segurança. Já nos aviões as caixas de transporte tem medidas e pesos máximos específicos.

• Cuidados com a saúde oral: E não se esqueça que a higiene bucal do seu pet não pode ser deixada de lado. Além da escovação diária, é importante uma consulta com o dentista veterinário e aproveitar o período de férias para prevenir doenças bucais.

Quais são seus planos para este mês? Vai ficar na cidade, praia ou campo? Conte para a gente as suas dicas de planos para as férias em família com o seu pet! Quanto mais atividades para a gente, melhor. E não esqueça de marcar o check up odontológico antes de sair de férias: https://odontovet.com

 

Leia mais

Ter um pet ajuda a combater a solidão

Já assistiu aqueles filmes em que o mocinho está triste e desamparado, quando de repente chega um pet que vira o seu melhor amigo e muda a sua vida? E se eu te falar que esse tipo de história é real? Descubra porque os pets auxiliam no combate a solidão.

Tenho certeza que você já ouviu alguém dizendo que o pet é seu melhor amigo, mas você tem noção de que para muita gente essa verdade vai além do carinho entre bichinho e tutor?

Pois é, ter um pet como companheiro de vida realmente traz incontáveis benefícios.

Acontece que a convivência com pets gera “gatilhos positivos” no nosso cérebro, que por sua vez geram resultados terapêuticos. É como se a nossa cabeça fosse alimentada com hormônios do bem só por ter um peludinho perto da gente. Redução do stress, controle de ansiedade e auxílio na recuperação de doenças psiquiátricas e psicológicas são só alguns dos exemplos comprovados por estudos pelo mundo afora.

Fora isso ainda existem os pets que são treinados para dar assistência emocional, se tornando o apoio que o tutor precisa para manter uma vida e mentalidade sadias. Estes bichinhos muitas vezes são responsáveis por auxiliar ou prover a independência que a pessoa precisa.

Inclusive, se quiser saber mais sobre esta eficácia terapêutica temos um post bem bacana falando sobre pets na zooterapia e como ela foi aderida em diversos países.

Os pets fazem com que os tutores tenham um propósito e um cuidado diário, além de sempre estarem disponíveis para dar um amor incondicional. Viu? Até a medicina comprova que pet é tudo de bom.

E você, conhece alguém que mudou de vida por causa do seu pet ou já viveu uma situação em que seu pet te apoiou emocionalmente? Deixe nos comentários a sua história, adoramos conhecer mais sobre vocês.

 

Leia mais

Restaurantes e locais pet friendly: Atividades novas e diferentes para entreter você e seu pet.

Você sabe quais atividades pode fazer com seu pet, além do passeio básico diário? A gente te conta as mais diversas possibilidades nesse post.

Assim como nós, pets também se entediam se ficarem apenas em casa, sem atividades.
É por isso que, muitas vezes, voltamos para casa e está tudo de ponta cabeça! Para não deixar o seu pet desmotivado e quebrar a rotina, há muito o que vocês podem fazer juntos, além da caminhada diária.  De restaurantes a turismo, confira alguns tipos de atividades pet friendly, que irão te ajudar a incrementar a rotina:

  • Restaurantes: Geralmente com espaços abertos, hoje em dia existem inúmeros restaurantes, padarias e cafeterias que aceitam e incentivam a visita de clientes com pets. Alguns, inclusive, possuem cardápios especiais com petiscos e pratos para os acompanhantes de quatro patas, para aquela deliciosa refeição em família.
    Não esqueça da escovação ao final do dia. Assim como na nossa boca, os resíduos podem causar complicações chatas, prejudicando a saúde do pet. A saúde começa na boca e nossos acompanhantes dependem de nós para ajudar nisso.
  • Parques: assim como existem parques que não aceitam pets, há parques que são exatamente o oposto. Hoje, existem inúmeros parques com áreas recreativas voltadas para a socialização dos bichinhos. É como uma grande festa!
  • Hotéis e resorts: Quem não ama sair da rotina? Pois é, sair da cidade com seu pet para voltar depois de alguns dias não é mais motivo de preocupação. Ao longo dos anos, hotéis e resorts notaram a quantidade de viajantes buscando locais pet friendly para passar a noite ou fins de semana. São locais com caminhas, potes de água e ração, e uma estrutura pronta para atender vocês da melhor forma possível. Só tenha certeza de que o pet está familiarizado, para evitar situações estressantes.
  • Lojas e espaços culturais: Se o seu pet não faz muita questão de atividades tão intensas, como correr ou nadar, ou se o dia está com temperaturas mais chatinhas, há também a opção de visitar comércios. Algumas lojas e espaços culturais tem toda uma estrutura para entreter seu pet da melhor forma.

Antes de sair para o passeio, leve seu pet para fazer suas necessidades, assim você tem mais chances de evitar surpresas.

E lembre-se, o objetivo é ter um ótimo momento com o seu pet. Evite forçar situações em locais que não tem estrutura para recepcionar vocês dois. A situação pode causar desconforto no bichinho, acabando com todo o propósito do passeio.

Que tal pesquisar lugares bacanas para sair com o seu pet hoje? Encontramos muitas dicas interessantes do site: https://guiapetfriendly.com.br. Lá tem sugestões por localidade, categoria e até tamanho do pet.

Se tiver dicas nos indique nos comentários. Adoramos conhecer lugares novos!

Leia mais

Saúde bucal dos filhotes

Aproveitando o mês das mães, saiba tudo sobre a dentição dos seus filhotes.

A chegada de filhotes é uma alegria, mas pode gerar apreensão aos tutores. Há muita desinformação por aí, então reunimos a forma de tópicos, as principais curiosidades e informações relacionadas à saúde bucal dos seus filhotinhos:

  • Cães e gatos recém-nascidos geralmente nascem sem dentes. Com aproximadamente 30 dias de vida, todos os dentes de leite já devem ter nascido.
  • Os primeiros dentinhos são os dentes de leite, também conhecidos como dentes decíduos. Nos cãezinhos são 28 dentinhos de leite e nos gatinhos são 26.
  • Filhotes adoram morder para brincar. Como seus dentes são finos e afiados, as mordidas podem causar alguns arranhões. Cuidado para não estimular um comportamento agressivo no futuro com estas brincadeiras de morder.
  • É importante acostumar desde cedo o filhote a permitir mexer em sua cabeça e sua boca. Você pode massagear a gengiva com os dedos e auxílio de uma pasta para pets, preferencialmente uma que tenha sabor que ele goste.
  • Durante a troca de dentes, a gengiva pode ficar sensível e inflamada, podendo eventualmente ocorrer sangramento e ficar mais seletivo para comer. Essa não é a melhor fase para iniciar a escovação dos dentes. Continue a massagear com bastante delicadeza a gengiva, até que a troca de dentes seja completada.
  • Em cães e gatos, a troca de dentes começa por volta do terceiro mês de vida e vai até o sexto mês. Com 7 meses, todos os dentes de leite devem ter caído e os dentes permanentes já devem ter nascido. São 42 dentes permanentes nos cães e 30 nos gatos. Ou seja, em aproximadamente 3 meses muita coisa muda na dentição do filhote. Problemas nesta fase podem comprometer a saúde bucal permanentemente. Então, seria muito importante que o dentista veterinário acompanhasse essa transição, garantindo que tudo corra bem.
  • O correto e natural é o dente de leite cair e depois de alguns dias ou semanas o dente permanente começar a nascer no mesmo lugar.
  • Por vezes, os dentes de leite podem não cair naturalmente e os dentes permanentes nascerem encavalados. Isso é muito frequente nos cães de raças pequenas. Nesses casos, leve seu filhote a um dentista veterinário para que a extração seja feita imediatamente, de forma que não prejudique o crescimento dos dentes permanentes, causando uma maloclusão (que é quando os dentes ficam fora de posição e não se encaixam perfeitamente).
  • A persistência dos dentes de leite também facilita o maior acúmulo de placa bacteriana e o desenvolvimento precoce da doença periodontal.
  • Se um dente demorar mais do que um mês para nascer, pode ter alguma coisa errada. Nas raças braquicefálicas, como Pugs, Bichons, Lhasas, dentre outras, é comum o primeiro pré-molar inferior não nascer e ficar incluso, levando a formação de um cisto. Se perceber a ausência de um dente, é necessário levar a um dentista veterinário, que irá radiografar para saber se o dente não se formou ou está incluso.
  • A partir da troca dos dentes, aí sim, você deve começar a escovar os dentes diariamente com uma escova humana infantil bem macia. As dedeiras não são tão boas como as escovas, principalmente em boquinhas pequenas. Use somente cremes dentais para pets, preferencialmente um que eles gostem do sabor, assim, eles irão curtir mais a escovação. Faça da escovação um hábito saudável e de aproximação entre você e seu filhote.

Filhote é tudo de bom! Você é ou foi tutor de algum? Não há nada mais delicioso que estar cercado dessas coisas super fofas, não é mesmo? Deixe nos comentários suas memórias favoritas desses pets lindos!

E lembre-se: cuide dos dentes do seus pets desde filhotes! A saúde bucal em dia é um dos importantes passos para ele crescer forte e saudável. Clique aqui e agende uma consulta.

Leia mais

Cuidados com a saúde de pets grávidas

Toda mãe requer carinho e cuidado. Você sabe quais as necessidades especiais das pets nesses momentos?

A felicidade que um pet nos traz é algo que não tem explicação. Saber que a sua pet está grávida, então, nem se fala! É uma mistura de felicidade com ansiedade e puro amor. Mas no meio de todas estas emoções surge a preocupação: O que muda durante esse processo? Quais os cuidados?

A gestação em cães e gatos dura aproximadamente dois meses. Depois de duas semanas, já se pode notar mudanças no corpo e comportamento da mamãe pet.

Nesse momento delicado, o stress e sensibilidade são frequentes. Por isso, evite locais barulhentos e situações que possam gerar ansiedade. Prepare um local quente, limpo e protegido da corrente de vento ou iluminação forte. A pet grávida buscará um “ninho” assim para o parto.

Pode haver a necessidade de servir uma ração diferenciada, afinal, ela precisa de mais nutrientes, pois agora está comendo por mais de um, não é mesmo? Por isso, os dentes e a gengiva precisam estar saudáveis, para que ela possa comer sem nenhuma dificuldade. Os dentes também serão usados como ferramenta auxiliar durante o parto. Então, é de extrema importância uma saúde bucal em dia.

Você sabia que é a mãe que, quando lambe a boquinha dos filhotes, transmite as bactérias que irão colonizar a cavidade oral deles? Então, se a saúde bucal não estiver em ordem, a futura saúde bucal dos filhotes também estará em risco!

Então, escove os dentes da sua pet diariamente. Se houver sangramento, se a gengiva estiver vermelha ou inchada, se os dentes estiverem com tártaro e ela tiver mau hálito, algo está errado com a saúde bucal dela. Agende hoje mesmo uma avaliação odontológica.

Você é um tutor “avô”? Conte para a gente a sua história! E, caso pretenda cruzar a sua pet, marque uma consulta para verificar se tudo está perfeito para esse lindo momento. É só enviar um e-mail para: contato@odontovet.com.br

 

Leia mais

Você sabia que seu pet tem dente de leite?

Aprenda mais sobre o processo da troca de dentição do seu filhote.

Cães, gatos e lagomorfos como coelhos e lebres, assim como nós, possuem dentes de leite. Nos coelhos, a troca de dentes pode ocorrer ainda dentro do útero da mãe, mas nos cães e nos gatos começa ao redor do 4º mês de idade e com 6 a 7 meses de vida, cães e gatos já devem ter trocado todos os dentes. Geralmente, essa fase passa despercebida, mas, eventualmente, podem ocorrer pequenos sangramentos na gengiva e até falta de apetite. Todos lembramos como é incômodo comer com aquela dorzinha do dente mole, não é mesmo?

Mas, se a troca dos dentes passa despercebida, por quê devo me preocupar? O motivo é que é muito comum, alguns dentes de leite demorarem para cair (persistência dos dentes decíduos) e isso pode influenciar na posição dos dentes definitivos (maloclusão) e favorecer ao aparecimento precoce de inflamação na gengiva (doença periodontal). Nesse caso, esses dentes de leite devem ser extraídos. Portanto, é muito importante que você tutor esteja atento à essa fase.

Quer entender melhor a troca dos dentes e saber mais sobre a extração de dentes de leite? Clique aqui.

Se o seu pet está ou já passou dessa fase, comente aqui qual é o seu conselho para outros tutores. E, caso tenha alguma dúvida ou necessite de uma consulta, entre em contato conosco.

Leia mais

Dia do trabalho | Pets à serviço da humanidade

Neste dia do trabalhador conheça as principais profissões exercidas pelos pets a serviço da humanidade.

Mais que nossos companheiros do dia a dia, os pets também nos acompanham na rotina de trabalho. Conheça agora algumas das profissões exercidas pelos pets:

  • Assistentes emocionais: Alguns pets auxiliam seus tutores em suas jornadas e terapias. São acompanhantes que ajudam sempre que necessário e por isso são chamados de Assistentes Emocionais, sendo responsáveis por dar apoio e independência ao seu tutor. E estes bichinhos podem ser os mais diversos: porcos, pôneis, cachorros, gatos e, quem diria, até cangurus.
  • Bombeiros: Até hoje há coisas que a tecnologia não domina com maestria. Uma destas coisas é a detecção da presença de pessoas em desastres. Os pets bombeiros atuam na equipe de resgate farejando pessoas e até outros bichinhos em perigo. Eles conseguem ter acesso à locais que nós não conseguimos e avisar o resto da equipe de humanos onde ir. Os mais comuns nesta profissão são os furões e porcos-da-índia.
  • Guias: Não podemos esquecer dos cães guia que auxiliam um deficiente visual na sua locomoção e independência. São pets que identificam os riscos potenciais no ambiente ou percurso de seu tutor e os guiam, evitando acidentes.
  • Agricultores: Você diria que uma cabra pode ser uma auxiliar de agricultura fenomenal? Pois é, no Japão cabras são criadas em fazendas pois se alimentam de determinadas plantas como o kudzu, e assim impedem a sua proliferação. É um controle natural de ervas daninhas!
  • Cāes de guarda: vários estabelecimentos comerciais e empresas têm cāes guardas.
  • Cães policiais: ajudam não só no policiamento, mas também em situações especiais como é o caso dos cães farejadores.
  • Cães de guerra: é o nome que recebe os cães do exército, que tem funções de vigilância, mas também são treinados para situações de combate.
  • Cães de pastoreio: algumas raças sāo conhecidas por sua aptidão em pastorear rebanhos de gado ou ovelhas, substituindo muitas vezes com muito maior eficiência os cavalos e seus peões. Dentre estas raças se destacam os Border Collies e os Blue Heeler ou boiadeiro australiano.
  • Pombo correio: não poderíamos deixar de citar as aves, que não na atualidade, mas já serviram no passado no envio de mensagens, como foi o caso dos pombos correios.

Fica claro que os pets além de serem extremamente inteligentes, eles otimizam por completo o nosso dia a dia. Mas se você acha que as profissões acabam por aí, você se engana. Cada dia que passa mais profissões são criadas e tratamentos sāo potencializados só pela presença e auxílio de pets. Sem dúvidas, este mundo com a ajuda dos bichinhos é um lugar muito melhor.

Você tem um pet day no seu trabalho ou tem algum bichinho te ajudando na sua rotina ou ainda conhece uma outra profissão que não citamos? Conta para a gente nos comentários. E lembre-se, precisando de uma consulta com seu pet, entre em contato conosco por meio do e-mail: contato@odontovet.com.br

 

Leia mais

Os problemas dentários mais comuns nos coelhos

Tudo o que você precisa saber sobre os problemas dentários mais comuns nos coelhos

Seu coelho pode ser grande, pequeno, orelhudo ou baixinho. Não importa qual a raça ou nível de fofura, todo coelho necessita de atenção especial à sua dentição.

Os dentes dos coelhos crescem durante toda vida. Na natureza, esse crescimento é para compensar o desgaste dos dentes, que ocorre durante a mastigação de alimentos fibrosos (capim/mato). No ambiente doméstico, a alimentação à base de ração pode não fornecer o desgaste ideal, o que acarreta algumas complicações odontológicas frequentes. Para te ajudar a evitar esse e outros problemas, listamos as ocorrências odontológicas mais comuns nesses pets:

Alongamento dos dentes:

Ocorre quando os dentes não são desgastados adequadamente durante a mastigação. A alimentação à base de ração não só não causa um desgaste adequado dos dentes como também altera o padrão da mastigação. Como consequência, podem ocorrer alguns problemas:

Maloclusão:

Quando os dentes não são desgastados corretamente, podem sofrem alguma inclinação, saindo de sua posição correta, o que chamamos de maloclusão secundária. Fora da posição ideal, os dentes podem não ser desgastados adequadamente, podendo formar pontas que machucam a bochecha, a língua ou os lábios.

Nos coelhos, é comum também a maloclusão dos dentes incisivos, mas em geral, nestes dentes a maloclusão é primária ou esquelética, porque é causada por uma desproporção da mandíbula com a maxila. Dessa forma, os dentes podem crescer tortos e prejudicar a mastigação e alimentação, além de machucar os lábios.

Traumas nos dentes ou na face e mesmo quedas podem causar o desalinhamento dos dentes. Dessa forma, a dentição cresce de forma errada, complicando a mastigação e desgaste correto dos dentes.

Pontas dentárias:

Estudos mostraram que o padrão da mastigação dos coelhos muda quando estão comendo grãos ou ração. Dessa forma, o desgaste da superfície do dente não é igual em toda a superfície do dente, o que leva a formação de pontas dentárias. As pontas nos dentes pré-molares e molares inferiores causam trauma na língua enquanto nos dentes superiores causa trauma na bochecha. Este trauma machuca muito a bochecha, geralmente levando o coelho a parar de comer.

Presença de ponta dentária em um dente inferior esquerdo (seta) que está machucando a língua de um paciente coelho impedindo que ele coma. Ponta precisa de desgastada e dentes nivelados.

Imagem pós-tratamento de desgaste da ponta e nivelamento do dentes (ajuste oclusal).

Abscessos:

Quando os dentes estão alongados e fora de posição, predispõe ao acúmulo de alimento entre os dentes podendo levar a inflamação da gengiva (doença periodontal)  e até a formação de abscesso. A presença de pontas dentárias também pode levar a perfuração das mucosas da língua, lábios ou bochecha. A contaminação desta ferida pode levar a formação de um abscesso. Inicialmente, um abscesso pode apresentar-se como um pequeno aumento de volume ou uma pequena ferida na pele na região próxima aos dentes ou até passar despercebido por causa dos pelos que escondem o aumento de volume. Por isso, é importante apalpar com regularidade a cabeça de seu coelho.

Aumento de volume com pequena ferida na pele próxima aos dentes. Só pode ser notada após raspar os pelos. O diagnóstico foi de abscesso relacionado aos dentes.

Estes são os principais problemas odontológicos dos coelhos. Como você pode perceber, todos eles podem ter relação com uma alimentação errada. De certa forma, são problemas poderiam que ser evitados por meio de uma alimentação adequada (aquela que é mais próxima da alimentação natural, por exemplo, capins, fenos, folhas de vegetais fibrosos, talos de cenoura, palha de milho, etc., além de pequena quantidade de ração própria para coelhos e de boa qualidade).

Se o seu coelho está com os dentes alongados, seletivo para comer, perdendo peso, com fezes pequenas e ressecadas, esses podem ser os primeiros sinais de problema nos dentes e um desgaste profissional pode ser necessário. Se você notar qualquer mudança de comportamento ou diferença nos dentes do seu coelho, o Odontovet tem dentistas especializados na saúde bucal desses pets.

Precisando de auxílio ou de uma consulta, é só entrar em contato conosco.

Leia mais

A importância da alimentação para a dentição dos coelhos.

Como os alimentos podem influenciar no crescimento e manutenção dos dentes de coelhos.

A dentição dos coelhos é única e peculiar de diversas formas.

Quando caem seus dentes de leite, os dentes dos coelhos passam a ser permanentes e crescer dia após dia. Por isso, você pode ter se deparado com coelhinhos com dentes bem grandes por aí.

O detalhe é que, sem um cuidado esse crescimento excessivo dos dentes, não é nada saudável para o pet. Por mês, é comum que cresçam aproximadamente 1 cm. Isso pode influenciar tanto no processo de mastigação quanto no peso ou em atividades corriqueiras do coelho.

Mas, a natureza é sábia e a dieta apropriada do coelho é perfeita para evitar o crescimento maior que o devido. A oferta de alimentos fibrosos, como o feno, capim e alguns tipos de ração, que não deve ser deixada à vontade, ajudam os dentes a se desgastar aos poucos, de forma natural e indolor.

Basicamente, com a alimentação correta, os dentes dos coelhos crescem e são desgastados na mesma proporção diariamente e seu coelhinho fica feliz e saudável.

Importante mencionar que, apesar da cenoura ser o alimento preferido do coelhinho de Hollywood, ela não deve ser oferecida ao seu pet. A melhor maneira de manter a saúde dos dentes do seu coelho é fornecendo opções de vegetação fibrosa, como: capim, feno, palha de milho verde, talo da cenoura, couve, entre outros. Claro, sem deixar de ofertar pequenas quantidades da ração recomendada pelo médico veterinário de sua confiança.19

Seu coelho tem alguma fibra favorita? Compartilhe conosco nos comentários o que seu coelho adora comer toda a hora. E caso tenha alguma dúvida ou necessite de uma consulta, entre em contato conosco.

 

Leia mais

Os tipos e características dos dentes dos coelhos.

Descubra mais sobre a dentição de um coelho.

Hora de conhecer mais sobre os tão famosos e icônicos dentinhos do coelho.

A primeira característica a ser citada é que o coelho possui dentes de leite. O curioso é que a troca pelos dentes permanentes pode acontecer ainda no útero da mãe.

Já os dentes permanentes (ou definitivos) dos coelhos são elodontes, ou seja, eles têm crescimento contínuo.

Um dente incisivo pode crescer aproximadamente 1 cm por mês. Exatamente por isso que é necessário fornecer uma dieta que auxilie o desgaste dos dentes, promovendo um equilíbrio entre o crescimento e o desgaste.

A alimentação à base de ração não promove o desgaste adequado dos dentes, podendo levar a problemas como alongamento dos dentes, formação de pontas e maloclusão com prejuízo à saúde. Se o seu coelho estiver com sinais como: comendo menos, perda de peso, alterações nas fezes, salivação (babando) ou com mau cheiro na boca, ele pode estar com problemas nos dentes.

Então, a dieta ideal é aquela que mais se assemelha com o que um coelho come na natureza, capim. E isso se torna um desafio nos grande centro urbanos: como arrumar capim? Algumas alternativas são: fenos, palha de milho, talo da cenoura, couve. Dê preferência para folhas mais grossas e fibrosas. Evite verduras, como alface e almeirão, pois em excesso, podem causar diarréia e por serem pouco fibrosas não promovem o desgaste dos dentes.

Presença de ponta dentária em um dente inferior esquerdo (seta).

 

E, para finalizar, a arcada dos coelhos adultos normalmente é composta por 26 a 28 dentes definitivos sendo: 2 pares de incisivos superiores, 1 par de incisivos inferiores; 3 pares de pré-molares superiores, 2 pares de pré-molares inferiores, 3 pares de molares superiores e 3 pares de molares inferiores. Coelhos não possuem dentes caninos.

Figura 1: Esquema dos dentes dos coelhos.

 

A verdade é que, com esse pet, dentes e amor não faltam!

Compartilhe este post com seu amigo tutor de coelhos e, se precisar de uma consulta, entre em contato conosco, clicando aqui.

Leia mais
Olá, podemos ajudar?
Powered by