Todos na Tag: maloclusão

Saúde bucal dos filhotes

Aproveitando o mês das mães, saiba tudo sobre a dentição dos seus filhotes.

A chegada de filhotes é uma alegria, mas pode gerar apreensão aos tutores. Há muita desinformação por aí, então reunimos a forma de tópicos, as principais curiosidades e informações relacionadas à saúde bucal dos seus filhotinhos:

  • Cães e gatos recém-nascidos geralmente nascem sem dentes. Com aproximadamente 30 dias de vida, todos os dentes de leite já devem ter nascido.
  • Os primeiros dentinhos são os dentes de leite, também conhecidos como dentes decíduos. Nos cãezinhos são 28 dentinhos de leite e nos gatinhos são 26.
  • Filhotes adoram morder para brincar. Como seus dentes são finos e afiados, as mordidas podem causar alguns arranhões. Cuidado para não estimular um comportamento agressivo no futuro com estas brincadeiras de morder.
  • É importante acostumar desde cedo o filhote a permitir mexer em sua cabeça e sua boca. Você pode massagear a gengiva com os dedos e auxílio de uma pasta para pets, preferencialmente uma que tenha sabor que ele goste.
  • Durante a troca de dentes, a gengiva pode ficar sensível e inflamada, podendo eventualmente ocorrer sangramento e ficar mais seletivo para comer. Essa não é a melhor fase para iniciar a escovação dos dentes. Continue a massagear com bastante delicadeza a gengiva, até que a troca de dentes seja completada.
  • Em cães e gatos, a troca de dentes começa por volta do terceiro mês de vida e vai até o sexto mês. Com 7 meses, todos os dentes de leite devem ter caído e os dentes permanentes já devem ter nascido. São 42 dentes permanentes nos cães e 30 nos gatos. Ou seja, em aproximadamente 3 meses muita coisa muda na dentição do filhote. Problemas nesta fase podem comprometer a saúde bucal permanentemente. Então, seria muito importante que o dentista veterinário acompanhasse essa transição, garantindo que tudo corra bem.
  • O correto e natural é o dente de leite cair e depois de alguns dias ou semanas o dente permanente começar a nascer no mesmo lugar.
  • Por vezes, os dentes de leite podem não cair naturalmente e os dentes permanentes nascerem encavalados. Isso é muito frequente nos cães de raças pequenas. Nesses casos, leve seu filhote a um dentista veterinário para que a extração seja feita imediatamente, de forma que não prejudique o crescimento dos dentes permanentes, causando uma maloclusão (que é quando os dentes ficam fora de posição e não se encaixam perfeitamente).
  • A persistência dos dentes de leite também facilita o maior acúmulo de placa bacteriana e o desenvolvimento precoce da doença periodontal.
  • Se um dente demorar mais do que um mês para nascer, pode ter alguma coisa errada. Nas raças braquicefálicas, como Pugs, Bichons, Lhasas, dentre outras, é comum o primeiro pré-molar inferior não nascer e ficar incluso, levando a formação de um cisto. Se perceber a ausência de um dente, é necessário levar a um dentista veterinário, que irá radiografar para saber se o dente não se formou ou está incluso.
  • A partir da troca dos dentes, aí sim, você deve começar a escovar os dentes diariamente com uma escova humana infantil bem macia. As dedeiras não são tão boas como as escovas, principalmente em boquinhas pequenas. Use somente cremes dentais para pets, preferencialmente um que eles gostem do sabor, assim, eles irão curtir mais a escovação. Faça da escovação um hábito saudável e de aproximação entre você e seu filhote.

Filhote é tudo de bom! Você é ou foi tutor de algum? Não há nada mais delicioso que estar cercado dessas coisas super fofas, não é mesmo? Deixe nos comentários suas memórias favoritas desses pets lindos!

E lembre-se: cuide dos dentes do seus pets desde filhotes! A saúde bucal em dia é um dos importantes passos para ele crescer forte e saudável. Clique aqui e agende uma consulta.

Leia mais

Você sabia que seu pet tem dente de leite?

Aprenda mais sobre o processo da troca de dentição do seu filhote.

Cães, gatos e lagomorfos como coelhos e lebres, assim como nós, possuem dentes de leite. Nos coelhos, a troca de dentes pode ocorrer ainda dentro do útero da mãe, mas nos cães e nos gatos começa ao redor do 4º mês de idade e com 6 a 7 meses de vida, cães e gatos já devem ter trocado todos os dentes. Geralmente, essa fase passa despercebida, mas, eventualmente, podem ocorrer pequenos sangramentos na gengiva e até falta de apetite. Todos lembramos como é incômodo comer com aquela dorzinha do dente mole, não é mesmo?

Mas, se a troca dos dentes passa despercebida, por quê devo me preocupar? O motivo é que é muito comum, alguns dentes de leite demorarem para cair (persistência dos dentes decíduos) e isso pode influenciar na posição dos dentes definitivos (maloclusão) e favorecer ao aparecimento precoce de inflamação na gengiva (doença periodontal). Nesse caso, esses dentes de leite devem ser extraídos. Portanto, é muito importante que você tutor esteja atento à essa fase.

Quer entender melhor a troca dos dentes e saber mais sobre a extração de dentes de leite? Clique aqui.

Se o seu pet está ou já passou dessa fase, comente aqui qual é o seu conselho para outros tutores. E, caso tenha alguma dúvida ou necessite de uma consulta, entre em contato conosco.

Leia mais

Os problemas dentários mais comuns nos coelhos

Tudo o que você precisa saber sobre os problemas dentários mais comuns nos coelhos

Seu coelho pode ser grande, pequeno, orelhudo ou baixinho. Não importa qual a raça ou nível de fofura, todo coelho necessita de atenção especial à sua dentição.

Os dentes dos coelhos crescem durante toda vida. Na natureza, esse crescimento é para compensar o desgaste dos dentes, que ocorre durante a mastigação de alimentos fibrosos (capim/mato). No ambiente doméstico, a alimentação à base de ração pode não fornecer o desgaste ideal, o que acarreta algumas complicações odontológicas frequentes. Para te ajudar a evitar esse e outros problemas, listamos as ocorrências odontológicas mais comuns nesses pets:

Alongamento dos dentes:

Ocorre quando os dentes não são desgastados adequadamente durante a mastigação. A alimentação à base de ração não só não causa um desgaste adequado dos dentes como também altera o padrão da mastigação. Como consequência, podem ocorrer alguns problemas:

Maloclusão:

Quando os dentes não são desgastados corretamente, podem sofrem alguma inclinação, saindo de sua posição correta, o que chamamos de maloclusão secundária. Fora da posição ideal, os dentes podem não ser desgastados adequadamente, podendo formar pontas que machucam a bochecha, a língua ou os lábios.

Nos coelhos, é comum também a maloclusão dos dentes incisivos, mas em geral, nestes dentes a maloclusão é primária ou esquelética, porque é causada por uma desproporção da mandíbula com a maxila. Dessa forma, os dentes podem crescer tortos e prejudicar a mastigação e alimentação, além de machucar os lábios.

Traumas nos dentes ou na face e mesmo quedas podem causar o desalinhamento dos dentes. Dessa forma, a dentição cresce de forma errada, complicando a mastigação e desgaste correto dos dentes.

Pontas dentárias:

Estudos mostraram que o padrão da mastigação dos coelhos muda quando estão comendo grãos ou ração. Dessa forma, o desgaste da superfície do dente não é igual em toda a superfície do dente, o que leva a formação de pontas dentárias. As pontas nos dentes pré-molares e molares inferiores causam trauma na língua enquanto nos dentes superiores causa trauma na bochecha. Este trauma machuca muito a bochecha, geralmente levando o coelho a parar de comer.

Presença de ponta dentária em um dente inferior esquerdo (seta) que está machucando a língua de um paciente coelho impedindo que ele coma. Ponta precisa de desgastada e dentes nivelados.

Imagem pós-tratamento de desgaste da ponta e nivelamento do dentes (ajuste oclusal).

Abscessos:

Quando os dentes estão alongados e fora de posição, predispõe ao acúmulo de alimento entre os dentes podendo levar a inflamação da gengiva (doença periodontal)  e até a formação de abscesso. A presença de pontas dentárias também pode levar a perfuração das mucosas da língua, lábios ou bochecha. A contaminação desta ferida pode levar a formação de um abscesso. Inicialmente, um abscesso pode apresentar-se como um pequeno aumento de volume ou uma pequena ferida na pele na região próxima aos dentes ou até passar despercebido por causa dos pelos que escondem o aumento de volume. Por isso, é importante apalpar com regularidade a cabeça de seu coelho.

Aumento de volume com pequena ferida na pele próxima aos dentes. Só pode ser notada após raspar os pelos. O diagnóstico foi de abscesso relacionado aos dentes.

Estes são os principais problemas odontológicos dos coelhos. Como você pode perceber, todos eles podem ter relação com uma alimentação errada. De certa forma, são problemas poderiam que ser evitados por meio de uma alimentação adequada (aquela que é mais próxima da alimentação natural, por exemplo, capins, fenos, folhas de vegetais fibrosos, talos de cenoura, palha de milho, etc., além de pequena quantidade de ração própria para coelhos e de boa qualidade).

Se o seu coelho está com os dentes alongados, seletivo para comer, perdendo peso, com fezes pequenas e ressecadas, esses podem ser os primeiros sinais de problema nos dentes e um desgaste profissional pode ser necessário. Se você notar qualquer mudança de comportamento ou diferença nos dentes do seu coelho, o Odontovet tem dentistas especializados na saúde bucal desses pets.

Precisando de auxílio ou de uma consulta, é só entrar em contato conosco.

Leia mais
Olá, podemos ajudar?
Powered by